Arbor, Vol 185, No 740 (2009)

A pintura de história no Brasil do século XIX: Panorama introdutório


https://doi.org/10.3989/arbor.2009.740n1082

Maraliz de Castro Vieira Christo
Prof.ª de História da Arte da Universidade Federal de Juiz de Fora, Brasil

Doutora em História pela Universidade Estadual de Campinas, Brasil. Bolsista da Fondation Getty junto ao Institut National d’Histoire de l’Art de Paris (2003-2004), Brasil

Resumen


Acompanhando a cronologia política do Brasil no século XIX, quando passa de Colônia e Reino Unido, a Império e República, construiu-se um rápido panorama da pintura de história brasileira. Não apenas destacou-se a relação estabelecida com o poder, que pertence à gênese desse gênero de pintura, mas, principalmente, apontou-se a atuação de artistas que muitas vezes impuseram visões próprias do passado, ante um meio intelectual ainda incipiente. Buscou-se verificar o processo de construção da memória e do esquecimento, peculiar à pintura de história. O medo à fragmentação, ocorrido na América Latina, com o esfacelamento do domínio espanhol, levou o Brasil a produzir uma iconografia que salientasse a continuidade entre passado e presente, como também a unidade, construída na defesa de seu território face ao inimigo externo; silenciando-se sobre a escravidão e as revoltas internas, que somente serão representadas na República, quando da construção de iconografias locais, necessárias ao espírito federativo.

Palabras clave


Pintura de História no Brasil; Iconografia brasileira; História da Arte no Brasil

Texto completo:


PDF

Referencias


Amigo, Roberto (2001): Tras un Inca, Buenos Aires, Fundación para la Investigación del Arte Argentino.

Bancroft, Hubert Howe (1893): The Book of the Fair: an historical and descriptive presentation of the world’s science, art, and industry, as viewed through the Columbian Exposition at Chicago in 1893, designed to set forth the display made bythe Congress of Nations, of human achievement in material form, so as to more effectually to illustrate the profess of mankind in all the departments of civilized life, Chicago, San Francisco, The Bancroft Company, 10 v.

Bandeira, Manuel (1967): Poesia completa e prosa, Rio de Janeiro, José Aguilar ed.

Belluzzo, Ana M. de M. (1994): O Brasil dos viajantes, São Paulo, Odebrecht.

Belluzzo, Ana M. de M. (org.) (1988): Edoardo de Martino, pintor e marinheiro, São Paulo, Companhia São Paulo de Petróleo/Pancrom.

Brown, Jonathan (2000): Pintura na Espanha, 1500-1700, São Paulo, Cosac & Naify.

Carvalho, José Murilo de (1990): A formação das almas; o imaginário da República no Brasil, São Paulo, Compañía das Letras.

Castro, Isis Pimentel de (2007): Os pintores de História. A relação entre arte e história através das telas de batalla de Pedro Américo e Victor Meirelles (Dissertação de mestrado, UFF).

Catálogo comentado del acervo del Museo Nacional de Arte (2002), Pintura, siglo XIX, Tomo I, México, Instituto Nacional de Bellas Artes.

Cavalcanti, Ana Maria Tavares (2007): “O último tamoio e o último romântico”, Revista de História da Biblioteca Nacional. Rio de Janeiro, Sociedades de Amigos da Biblioteca Nacional, Ano 3, n.º 26, nov. pp. 64-69.

Christo, Maraliz de C. V. (2007): “As fontes literárias da narrativa de Pedro Americo sobre a Conjuração Mineira”, en Borges, Célia Maia (org.), Narrativas e imagens, Juiz de Fora, Ed. UFJF, pp. 11-57.

Christo, Maraliz de C. V. (2005): Pintura, história e heróis: Pedro Americo e “Tiradentes esquartejado”, Campinas (Tese de doutoramento em História, UNICAMP).

Christo, Maraliz de C. V. (2007): “Victor Meirelles, Pedro Americo e Enrique Bernardelli: outras leituras”, Christo, Maraliz de C. V. (org.). “Dossiê Pintura de História”. Anais do Museu Histórico Nacional, Rio de Janeiro, MHN, v. 39, pp. 169-188.

Coli, Jorge (2003): “Depois do Império – as artes na primeira década da república brasileira”. ArtCultura - Núcleo de Estudos em História da Arte e da Cultura. Uberlândia, UFU v. 5, n. 6, pp. 7-17.

Coli, Jorge (2002): “O sentido da batalha: Avahy, de Pedro Americo”, Prometo História (artes da história & outras linguagens), São Paulo, PUC-São Paulo, n. 24, junho, p. 113-128.

Coli, Jorge (2005): Como estudar a arte brasileira do século XIX, São Paulo, Editora SENAC.

Coli, Jorge (1997): Victor Meirelles e a pintura internacional, Campinas (Tese de livre docência, UNICAMP).

Daibert Jr., Robert (2004): Isabel, a “Redentora” dos escravos: uma história da princesa entre olhares negros e brancos (1846-1988), Bauru, SP, ED.USC.

Debret, Jean-Baptiste (1989): Viagem Pitoresca e Histórica ao Brasil, Tomo I, Belo Horizonte, Ed. Itatiaia Ltda; São Paulo, Ed. da Universidade de São Paulo.

Dias, Elaine (2001): Debret, a pintura de história e a ilustração da corte da Viagem Pitoresca e Histórica do Brasil, Campinas (Dissertação, Mestrado em História, UNICAMP).

Dias, Elaine (2005): Félix-Émile Taunay: cidade e natureza no Brasil, Campinas (Tese, doutorado em História, UNICAMP).

Dias, Elaine (2006): “A representação da realeza no Brasil: uma análise dos retratos de D. João VI e D. Pedro I, de Jean-Baptiste Debret”, Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material, São Paulo, USP, Museu Paulista, v. 14, n.1, jan./jun., pp. 243-262.

Duque, Gonzaga (1995): A arte brasileira, Rio de Janeiro, H. Lombaerts & Cia., 1888, ed. Aos c. de T. Chiarelli, Campinas, Mercado de Letras.

Farias, Edison (2007): “Tramas e dramas sobre a tela de Constantino da Motta”, en 19&20 - A revista eletrônica de DezenoveVinte, Volume II, n. 2, abril de. Disponível no site: http://www.dezenovevinte.net/, consultado em 24 de novembro de 2007.

Fernandes, Cybele Vidal Neto (2001): Os caminhos da arte, o ensino artístico na Academia Imperial das Belas Artes - 1850/1890, Rio de Janeiro (tese de doutoramento, História Social - UFRJ).

Gréard, Octave (1897): Meissonier, ses souvenirs, ses entretiens, Paris, Hachette.

Guarilha, Hugo Xavier (2005): A questão artística de 1879: polêmica da crítica de arte no segundo reinado, Campinas (Dissertação, Mestrado em História da Arte, UNICAMP).

Guimarães, Lúcia M. P. (1995): “Debaixo da imediata proteção de Sua Majestade Imperial. O Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (1838-1889)”, RIHGB, Rio de Janeiro, n. 388.

Guimarães, Manuel L. S. (1988): “Nação e civilização nos trópicos: o IHGB e o projeto de uma história nacional”, Estudos Históricos, Rio de Janeiro, I (I): 5-27.

Gutiérrez, Ramón & Gutiérrez Viñuales, Rodrigo (2006): América y España, imágenes para una historia; independencias e identidad 1805-1925, Madrid, Fundación MAPFRE.

Leal, Elisabete da Costa (2006): Filósofos em tintas e bronze: arte, positivismo e política na obra de Décio Villares e Eduardo de Sá, Rio de Janeiro (Tese de Doutoramento, História, UFRJ).

Levy, Carlos Roberto Maciel (1990): Exposições Gerais da Academia Imperial e da Escola Nacional de Belas Artes, Período Monárquico. Catálogo de artistas e obras entre 1840 e 1884, Rio de Janeiro, Edições Pinakotheke.

Lima, Valéria Alves Esteves (1994): A Academia Imperial das Belas-Artes: um projeto político para as artes no Brasil, Campinas (Dissertação de Mestrado, UNICAMP).

Lima, Valéria (2003): A Viagem Pitoresca e Histórica de Debret: por uma nova leitura (Tese de Doutoramento, UNICAMP).

Lima, Valéria (2004): Uma viagem com Debret, Rio de Janeiro, Zahar.

Malosetti Costa, Laura (2001): Los primeros modernos; arte y sociedad en Buenos Aires a fines del siglo XIX, Buenos Aires, Fondo de Cultura Económica de Argentina.

Martius, Karl Friedrich Philipp von (1845): “Como se deve escrever a História do Brasil?”, Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, Rio de Janeiro, 6 (24): 381-403, Jan.

Mattos, Cláudia Valladão de (2007): Artistas viajantes nas fronteiras da História da Arte, Comunicação apresentada no III Encontro de História da Arte do IFCH, UNICAMP (inédito).

Mello Jr., Donato (1982): “Temas históricos”, en Rosa, Ângelo de Proença e outros, Victor Meirelles de Lima, 1832- 1903, Rio de Janeiro, Edições Pinakotheke, pp. 55-102.

Milliet, Maria Alice (2001): Tiradentes: o corpo do herói, São Paulo: Martins Fontes.

Oliveira, Cecília Helena de Salles e Mattos, Cláudia Valladão de (1999): brado do Ipiranga, São Paulo, EDUSP.

Oliveira, J. M. (1943): Cardoso de. Pedro Américo sua vida e suas obras, Rio de Janeiro, Imprensa Nacional.

Pacheco, Marcelo E. (s/d.): Candido Lopez, Buenos Aires, Ediciones Banco Velox. José Ignacio Garmendia: crónica en imágenes de la Guerra del Paraguay (2005): Buenos Aires, Fundación Universitaria Católica Argentina.

Pereira, Walter Luiz (2003): Óleo sobre tela, olhos para a história, memória e pintura histórica nas Exposições Gerais de Belas Artes do Brasil Império (1872 e 1879). Niterói (Dissertação de Mestrado, História, UFF).

Pereira, Walter (1999): “E fez-se a memoria naval. A coleção de Edoardo Martino no Museu Histórico Nacional”, Anais do Museu Histórico Nacional, Rio de Janeiro, vol. 31.

Pérez Vejo, Tomás (1996): Pintura de historia e identidad nacional en España, Tesis Doctoral, Universidad Complutense de Madrid.

Reyes Fragoso, Arturo (2003): Los Pinceles de la Historia III: la fabricacion del Estado (1864-1910) Del imperio de Maximiliano a las fiestas del Centenario (promocion de las artes y politica cultural de jefes de estado) México, Coedición con el Consejo Nacional para la Cultura y las Artes, el Instituto Nacional de Bellas Artes y el Museo Nacional de Arte.

Souza Silva, Joaquim Norberto de (1873): História da Conjuração Mineira: Estudos sobre as primeiras tentativas para a independência nacional, Rio de Janeiro.

Squeff, Letícia (2007): “Esquecida no fundo de um armário: a triste história da Coroação de D. Pedro II”, en Christo, Maraliz de C. V. (org.), “Dossiê Pintura de História”, Anais do Museu Histórico Nacional. Rio de Janeiro, MHN, v. 39.

Squeff, Letícia (2004): O Brasil nas letras de um pintor, Campinas, UNICAMP.

Taunay, Visconde de (1926): A campanha da Cordilheira - Diário do Exército, Ed. Cia Melhoramentos, São Paulo.

Tobler/Lopacher (1969): Un suizo en la Guerra del Paraguay. Asunción, Editorial del Centenário.

Vainfas, Ronaldo (2002): “Guerra do Paraguai”, en Dicionário do Brasil Império, 1822-1889. Rio de Janeiro, Objetiva.

Varnhagen, Francisco A. de (2002): História das lutas contra os Holandeses no Brasil, desde 1624 até 1654. Rio de Janeiro, Biblioteca do Exército Editora (1.ª edição, ainda na forma de um ensaio: 1871).




Copyright (c) 2009 Consejo Superior de Investigaciones Científicas (CSIC)

Licencia de Creative Commons
Esta obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento 4.0 Internacional.


Contacte con la revista arbor@csic.es

Soporte técnico soporte.tecnico.revistas@csic.es